quarta-feira, 23 de abril de 2008

Minha vida acabou... de começar!

Sempre quis ter filhos. Sonhava com uma família grande, de 8 filhos: 7 meninos e 1 menina. Quando é sonho é sempre gostoso... No sonho você mora naquela casa enooorme, com uma mesa retangular de madeira no quintal onde cabe sua pequena família de 10 pessoas inteirinha para o almoço de domingo. No sonho é sempre domingo, as crianças já são grandinhas, todas lindas, comendo comportadas, todo mundo sorrindo, o próprio comercial da margarina!

Quando a confirmação da gravidez acontece, o peso da realidade recai sobre os nossos ombros e a gente começa a ver o mundo com outros olhos. Antes você via aquela criança jogada no chão do shopping, chorando por uma casquinha do Mc Donald’s e olhava feio pra mãe. Sua prima engravidava e você vinha cheia de teorias e dicas que leu na Internet. Você fazia parte da turma que falava que gravidez não é doença e que andar 3 passos e dizer que está cansada é frescura de grávida. Você achava que aqueles desejos malucos durante a gravidez eram coisa de mulher mal amada para chamar a atenção do marido e criticava a amiga da amiga que ganhou 30 kg na gestação: “quem mandou não se cuidar?”.

É, amiga... agora você assiste o programa da Supernanny e reza pra não criar um monstrinho daqueles... Você é obrigada a ouvir a amiga que nem filho tem te dando mil conselhos e passando sermão sobre como ser uma mãe moderna. Você quer andar mais rápido no supermercado pra acompanhar o marido (que ainda acha que gravidez não é doença), mas não consegue. Você senta na frente da caixa de bombons e só sai quando leva um choque na boca e percebe que está comendo o papel alumínio. Você adora a hora do ultra-som, mas detesta subir na balança quando vai ao obstetra...

Não pode mais beber, não pode fumar, não pode pegar peso, não pode ficar sem comer, não pode comer demais, não pode passar raiva, não pode ficar triste, não pode sushi, não pode carne mal passada, não pode café, não pode coca cola, não pode remédio pra gripe, não pode raio-x, não pode nem chá verde (e olha que eu sempre achei que chá verde era uma coisa super natureba)!

O que pode, afinal? Pode fazer amor de ladinho e com cuidado, diz o médico. Que legal...

Você adorava ir a festas, tomar Prosecco e dançar até se acabar! Suas amigas saem, viajam, curtem a vida e... nem se lembram que você existe. Você torce para que elas engravidem logo para se unirem a você nesse monastério glamurizado que é a gestação.

Sua vida não te pertence mais, você já não sabe onde foi parar você mesma, pois todos só enxergam a futura mamãe no lugar daquela mulher bonita, inteligente, divertida e interessante. E você? Você não enxerga nem seu pé, minha filha!

Mesmo assim, por alguma razão que eu ainda desconheço, quando você vê aquele pezinho no ultra-som... Ai, ai... Tudo isso vale a pena!

11 comentários:

Bel Gromik disse...

Oi Carol! Eu sou a Bel, do Data Especial.
Adorei este post. Primeiro, porque seu texto é ótimo, você escreve super bem.
E depois, porque me identifiquei 100% com ele. Sempre brinquei que nas 3 vezes que fiquei grávida, eu tinha depressão pré-parto. A gravidez pra mim era tudo isso aí mesmo. Difícil! O consolo era saber o que iria chegar.
Mas aí, era só nascer o bebê e eu entrava em estado de pura euforia, com gás total, apaixonadíssima.
Hoje meus bebês são grandes, mas continua a mil, sendo mãe full time com a mesma euforia do pós-parto.
Beijo grande e bem-vinda à bordo!

Carol Reis de Andrade disse...

Bel,obrigada pelas boas vindas, já estou me sentindo em casa!
Tenho a impressão de que depois que o bebê nasce, a gente esquece o que passou na gravidez e acaba querendo fazer tudo de novo!
Beijocas,
Carol

Jo disse...

Esquece mesmo...
eu so não consegui esquecer ainda os 30 QUILOS que eu ganhei de presente... (ok... 20 ja foram embora.. mas 10 insistem em ficar...)

E fazer amor de ladinho... sorte do seu marido se vc aguentar ficar assim a gestação inteira... porque o meu, coitado, teve algumas semanas de total abstinência!
(como se sentir sexo com 30 quilos a mais?)

Quando começar a chutar vc vai ver... melhor do que ver o pe na ultra de 2 em 2 meses... é sentir que o bebe esta ali tentando se comunicar o tempo inteiro com vc...

Nao vejo a hora de engravidar de novo!!!!

Carol Reis de Andrade disse...

O meu já chuta desde a metade do quarto mês! Aliás, o menino chuta o dia inteiro, parece que tá querendo sair!
Beijocas!

Lu disse...

Ei Carol!
Se vc está estreando no mundo blogueiro, pode ter certeza que em pouco tempo este blog estará fervilhando de comentários, pois seus posts são deliciosos de ler :)
Amanhã mesmo vou colocar o seu endereço no meu blog pras minhas amigas grávidas e mamães de primeira viagem virem te visitar.
Bjss e sucesso! :)

Carolina Souza Lima disse...

Carol!! Menina! Adorei esse.. eu sou louca para ser mãe, mas penso exatamente igual! E desisto, por enquanto. Nao é a hora! Definitivamente, nao e a hora...

E o rafael so pensa que leu na Veja que um filho até o final da faculdade custa 1 milhao e 400 reais! haahahahaa


Bjs!!
Carol

Simplesmente Lú !!! disse...

Oi Carol, seu blog ja ta adicionado nos meus feeds.
ADOREI o jeito como vc escreve, o texto é delicioso!
Parabéns!

Anônimo disse...

Olá..Carol...virei leitora do seu blog...lindo. Vc escreve super bem....manda a dica menina...rs.rs.rs
Eu nao tenho filho, mas to pensando engravidar este ano...por enquanto vou tomando coragem.
Afinal este momento deve ser mágico, único e um pouco sofrido, mas tenho certeza que irá valer a pena. Curta esses momentos lindos que passará.
Um grande abraço e td de melhor pra vc linda.
Núbia RJ
nubiarj_56@hotmail.com

Dehynha disse...

Oi, CArol!
Estou virando blogueira! rs E fuçando blogs cheguei até vc.
Me encontrei! ahahha
Tenho 2 filhos. 7 anos os separam. Foi ótima essa distância. Curti cada um!
Esse post foi totalmente perfeito!
Principalmente na parte: vale a pena.
Estou doida pra ter meu terceiro. E apenas ouço: vc é louca! ahahahah
Aparece no meu blog! Vou sempre falar dos meus filhos gente e dos meus filhos peluços! rs
Beijoooooooooo!

Maria Fernanda - Clave de Lua disse...

Carol!!!

Como está o fióte? Tudo bem com vocês? Mande notícias!!

Nossa! É sempre bom demais voltar a ler seus textos!! Ainda mais agora que sou umbiguete também!!!
Sei exatamente o que é deixar de existir pra todo mundo. No último fim de semana fui ver uns parentes e percebi que todo mundo que me encontra olha sempre de baixo pra cima. Primeiro a barriga, depois os peitos, depois a cara. Ou seja, se eu estiver fazendo careta pra pessoa ela nem percebe hahahahaha!!

Beijão pra você!! Estamos com saudades dos seus relatos!!

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

 

Umbigo Especial > DESIGN BY DATA ESPECIAL.COM.BR