sexta-feira, 25 de abril de 2008

Anti-grávida

Eu mal comecei a escrever essa coluna e já consegui criar uma polêmica aqui em casa. Antes de mandar o primeiro texto, consultei a opinião do meu marido e ele adorou. Já no segundo texto, o coitado ficou de cabelo em pé, horrorizado com o que eu escrevi, como se eu estivesse odiando estar grávida.

Como estou recebendo comentários de mulheres que ainda não engravidaram e não é minha intenção desencorajá-las, resolvi deixar de lado meu estilo de escrever por um momento a fim de esclarecer o meu ponto de vista.

Acho que muito do que se fala em torno da gravidez é romanceado ou hipócrita mesmo. O período da gestação é bem chato na maior parte do tempo, mas como algo que dura quase um ano da sua vida e do qual você não pode se afastar nenhum segundo pode ser 100% interessante? Conheço pessoas apaixonadas pelo trabalho, mas todas têm aquele dia em que dá vontade estrangular o chefe, ou fingir que está doente pra passar o dia na cama, ou olham o sol lindo pela janela e desejam estar na praia e não no escritório...

Quando você está grávida, está grávida e pronto. São 24 horas do seu dia durante 40 das 48 semanas do ano. Não dá pra tirar a barriga pra enxugar o pé ou pra dormir melhor à noite, não dá pra comer uma feijoada sem sofrer as conseqüências dos puns que ela vai te fazer soltar e que você não vai conseguir controlar! No começo da gestação não tem barriga, muita gente sofre com os enjôos (eu sofri), você não sente o neném mexer e ainda existe aquela tensão constante relacionada a um possível aborto espontâneo. Isso tudo é super difícil e muito real, mas ao mesmo tempo ninguém fala sobre essas coisas. O mundo te obriga a se sentir incrível e iluminada e ai de quem achar qualquer aspecto da gravidez ruim, pois está fadada a ser uma mãe terrível, um monstro de barriga!

Essa coluna não é anti-gravidez, pelo contrário, ela não poderia ser mais pró-grávida do que é! Aqui ninguém vai te enganar dizendo que a pele fica mais bonita, que as criancinhas “sentem” que você está grávida e correm para o seu colo, que o seu sexto sentido fica mais aguçado e que é normal sentir desejo de comer tijolo com sorvete. Talvez se alguém tivesse me dito antes de eu engravidar algumas verdades sobre a gestação, a experiência em si não tivesse sido tão frustrante às vezes...

Estar grávida é sim muito mágico e cada mulher vai sentir essa magia à sua maneira. Eu planejava comer de acordo com o cardápio da nutricionista, fazer hidroginástica 3x por semana, ser mais paciente, ouvir mais música clássica para estimular o bebê, conversar com o umbigo e abraçar esse emprego full-time com a maior graciosidade do mundo. Eu cheguei a me consultar com a nutricionista, que me passou um cardápio que nunca coloquei em prática nem no restaurante self-service, fiz um mês de aula de hidroginástica, continuo ouvindo a rádio de notícias no carro e uso salto alto escondido para não levar bronca do marido. Não fazia parte desses planos escrever uma coluna sobre medos, inseguranças, frustrações e puns, eu juro!

Esses dias eu fui ao shopping comprar uma camisola sexy para usar com o maridão e a desgraçada da vendedora só me vinha com roupa de hospital, sutiã de amamentação e calcinha segura-barriga. Pra mim ISSO é ser anti-grávida!

Atitude anti-grávida é querer fazer a mulher se sentir culpada por ter vontade de dançar, se sentir ridícula por querer ser sexy, se sentir bonita com o rosto cheio de espinhas que ela não teve nem durante a adolescência, se sentir na obrigação de perder 20 kg em um mês depois do parto, se sentir preguiçosa por ter sono, se sentir insegura por não ter o mesmo apetite sexual, se sentir excluída porque não pode tomar uma cerveja no Happy Hour, se sentir desleixada por não conseguir aparar os pêlos do púbis sozinha, se sentir menos mãe por querer ser somente ela mesma de vez em quando...

Se você está ou pretende ficar grávida, não entre no time das anti-grávidas! Seja de carne e osso, ame e odeie essa experiência, viva os prós e os contras intensamente, pois durante 40 semanas ninguém mais vai poder fazê-lo por você...

18 comentários:

Lelinha disse...

Cara, esse foi um dos textos mais fantásticos que eu já li sobre gravidez...

Eu me sinto tão culpada por pensar apenas nos "contras" da gravidez quando eu penso em engravidar... (sim, porque eu ainda preciso crescer antes de pôr uma criança no mundo, né!?)

Mas eu penso nisso tudo.. no desconforto, nos meus saltos que vou ter que abrir mão, na independência que vou perder devido à barrigona... e mais um monte de coisa que vc descreveu (e até outras)!

Eu sei (ou eu penso que sei) que é um momento único pra mulher. Sei que não são só agruras, mas isso aí que as pessoas falam que parece que vc dorme e acorda ouvindo os anjinhos cantando.. é tudo romantizado demais!

Gostei muito daqui...
Nem sei como vim, mas volto!
Parabéns..
Beijo

Gueixa® & Samurai® disse...

Faço minhas as palavras da lelinha...(somos "gemulas" separadas na maternidade com alguns anos de diferença, rsrsrs)...Eu já engravidei e é extamente o que vc falou...a tv, os amigos, a família fazem tudo aprecer um galmour só e não é.
Beijos e parabéns pela coragem...
Também volto...

Jo disse...

Já tinha me esquecido dos "puns"... hahaha Você vê... a gente esqueçe quase todos os contras depois que o filhote nasce... E logo queremos OUTRO sem nem pensar em tudo isso que odiamos durante a gravidez!!!

Não podemos deixar de falar sobre os 20 minutos gastos 3x ao dia passando creme pra TENTAR em vão evitar as estrias... os 10 minutos a mais no banho esfregando bucha no bico do peito pra ficar mais "grossinho" e a amamentação doer menos (inutil tambem?!?), os 15 minutos com a luz do abajur mirando no bico pro mesmo propósito... O Pé que cresce alguns números no final da grávidez devido o inchaço e você fica fadada a usar sapato apertado ou assumir a havaiana numero 39 diariamente...

Amiga... não é fácil!
Mas é válido!!!

Ainda mais quando podemos vir até aqui e rir de tudo isso!!!

Beijos!

Micha disse...

hahahah adorei demais...mto legal mesmo.
...... @@ ......... um abraço
....@(`;`)@........e um ótimo
0==/--\\\\==0.....fim de semana
...../___\\\\...........
....._| |_...........beijossss

Simplesmente Lú !!! disse...

Nossa eu não sou mãe ainda mas SUPER CONCORDO com vc em todas as palavras...
Eu sei que depois que eu engravidar e ser mãe a minha vida nunca mais sera a mesma, ate mesmo pq oa anti-gravidos perseguem qualquer barriguda né ?
Vou falar de novo, adorei o seu blog...
Bjokas

Anônimo disse...

Show de bola....Adorei...
Seu texto é demais.
Mas eu tb quero engravidar...ah quero. Caso fosse de gemeos, ficaria mais feliz ainda...mas a $$ ainda nao permite.
Bjks
Núbia RJ

guiga disse...

Olá!
Encontrei o teu blog através do blog da Luana. E adorei!!! Escreves maravilhosamente bem!
Beijos! *.*

Re disse...

Carol, concordo 100% com td que vc disse. As pessoas romanceiam demais esse periodo e te obrigam a se sentir linda e feliz. Mas o papo é beeem diferente. Nao sou mae, nem estou gravida, mas acompanhei de perto minha cunhada que teve uma depressao fdp durante a gravidez (sim, durante..nao foi pos parto), teve que tomar remedio, se tratar com psiquiatra e td mais..foi dificil para ela admitir que precisava de ajuda, qdo ela se cobrava estar feliz, como a sociedade impunha. Nao foi facil, mas hj ela eh uma mae incrivel!!

Nanda T G Freitas disse...

Simplesmente sensacionaaaalll!!!
Nunca tinha lido nada tão sincero e verdadeiro sobre gravidez! Estou naquela fase pós-casada, em que o mundo inteiro fica olhando pra sua barriga, esperando que ela cresça!
Na verdade, estou até começando a querer que ela cresça mesmo hehehehe!
Vou acompanhar de pertinho seu blog fantááástico!! E quem sabe, vou até dar minhas contribuições daqui a uns tempos...
Beijo grande procê!
Não deixe de escrever!!!

Nanda - Clave de Lua
Parceira do Data Especial!

Zeza disse...

Carolzita, sou sua fã desde o Clube (das Noivas), você sabe. Mas aqui, você tá que tá!!! Simplesmente amei tudo que vc disse justamente porque é real! Não estou grávida e inclusive, nem sei se quero ter filhos - e as pessoas só faltam me apedrejar na rua, quando digo isso, quase um anti-semitismo - mas reconheço a importancia do momento naquelas que querem, planejadamente ou não.

O que me revolta é esse glamour ao redor da barriga e o esquecimento da mulher. É como se a vida parasse por 40 semanas em prol de uma coisa que faz parte de você, e não o contrário.

Bom, tudo isso só pra dizer que eu sou totalmente pró-gravidas reais, vivas, de carne, osso e pé inchado.

Um beijo grande!

Zezé

ps: pra vc ver como me senti à vontade: falei sobre não ter filhos numa coluna para grávidas... tsc tsc tsc... me perdoa? ahahaha

Carol disse...

Carolzinha,

Adorei seu texto.. escreva SEMPRE! Ja ta vendo seu sucesso, ne!????

Bombando!!

E que venham as espinhas e as noite mal dormidas..

BJS!
Carol

Anônimo disse...

Carol!
Cadê você?
Eu vim aqui só pra te ver!!!

Dona Encrenca disse...

Vim dar uma espiada a convite da Nanda e adorei seu blog!

Aceita mais 02 mãos inchadas p/ contribuir c/ as experiências da gravidez??

Bjs
Renata

Maria Fernanda - Clave de Lua disse...

Carooolll!!
Não desapareça!!
Tô vendo aqui o recadinho da Dona Encrenca e, desde já, assino embaixo!! O Blog dela também é tudo de bom!!

Não abandone isso aqui, muié!
Temos muito o que aprender com você!

E passa lá no MusiCow pra me ler também!

Beijos da colega!!

Carol Reis de Andrade disse...

Dona Encrenca, contribuições são sempre muito bem vindas! Essa coluna não é minha, é de todas nós!

Pâmela disse...

Oi Carollll! Até chorei qdo li isso!

Acho que vc disse tudo! Sonho com o dia em vou engravidar para viver essa magia toda. Todo mundo sempre diz dos desconfortos, mas parece que a única coisa que deixamos passar pelo ouvido é as coisas boas... É bom ouvir isso... Adorei o termo e o significado do "anti-grávida"!

Parabéns pelas conclusão iluminadas! hhhahha

Bjosss
Pam.

Cristiane disse...

noooossssaa...desde que engravidei, hj estou no 4º mês, procuro muitos textos na net para me confortar, esse foi perfeito!!!! parecem minhas as suas palavras!!!! Ao contrário de tudo que já li, que a mulher fica linda, radiante e tal, não me sinto assim... claro tem dias que estou nas nuvens...mas que mulher vai se sentir maravilhosa acordando diariamente às 06 da manhã enjoada, ficando abraçada ao vaso por vários minutos...ou ainda sentir tonturas durante todo o dia... e o pior, a pele encher de espinhas e seu cabelo que sempre foi de um liso perfeito, começar a ficar rebelde e te obrigar a secar com secador?!!! ah, gerar um filho é com certeza um momento mágico, mas não é lindo, nem conto de fadas, e olha que eu amoooo cças, sou pedagoga, a tia coruja, mas mãe por enqaunto está sendo uma batalha diária... Valeu pelo texto...grande abraço.

Marcela disse...

Adorei seus relatos, sou mais uma leitora que não esta grávida, mas estou entrando no clima e planejando uma gravidez, já estive grávida em uma época bem complexa da minha vida. Rejeitei o fato de estar grávida devido à situação de ter apenas 17 anos, de não estar casada, não ter $$$, enfrentar a minha família e muitos outros fatos.
Bom enfim, perdi o bebê e me culpei até o último fio de cabelo, e por muito tempo achei que até por ter rejeitado um dia o fato de estar grávida eu não deveria pensar em filhos, loucura eu sei!
Agora seis anos depois e superado o passado quero estar por dentro desse universo maravilhoso que é a maternidade, e claro seus relatos colaboram muito e faz com que a gente se prepare para as mudanças não tão positivas que vêem junto com a gravidez. Mas que fazem sim parte do dia-dia, e não ouvi ou li nenhuma outra grávida ter coragem ou vontade de contar.

Obrigada!

Beijos

 

Umbigo Especial > DESIGN BY DATA ESPECIAL.COM.BR