segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Filosofias de barriga...

Com a divulgação do nosso videozinho na web e todas as respostas lindas e carinhosas que recebi, sem contar os elogios – que já me fizeram entender o que é ser uma mãe coruja de verdade hehehehehe – surgiram dois pontos filosóficos que têm me feito parar pra pensar.

O primeiro deles é: falar ou não falar?

Acho que todo mundo tem um pouco de medo de contar suas realizações, alegrias, conquistas. Aquela velha história de que tem sempre um olho gordo fazendo de tudo pra atrapalhar, mesmo que seja involuntário. Eu mesma já escondi alguns planos e idéias do resto do mundo, temendo que alguma coisa desse errado... Mas como fazer no caso de uma gravidez?

No princípio, até que é fácil esconder. Conheci muitas meninas que só contaram de sua gravidez pra família – e estão ansiosééérrimas a espera do famigerado terceiro mês, pra poder botar a boca no trombone e espalhar pros amigos e colegas no trabalho... Que engraçado!! É como se só ficássemos grávidas pra valer a partir de X semanas. Como assim? Eu tô grávida desde que o espermatozóide entrou no óvulo... Não é? Assim aprendi no colégio!!

E desde o dia em que descobri minha gravidez, não sei como esconder isso das pessoas! Não é que eu saia gritando por aí. Mas estou grávida e ponto. Isso não é um detalhezinho da minha vida. É a minha vida!

Aí eu vi meu bebê no vídeo e deu aquela vontade enorme de mostrar, contar, espalhar! Fui lá, taquei no Youtube, mandei email pro povo mais chegado... E recebi uma resposta do meu pai, me criticando e dizendo que estas coisas devem ser guardadas pros mais íntimos.

Será mesmo? Como é que eu posso esconder isso das pessoas? Daqui a algumas semanas, qualquer motorista de ônibus vai saber que eu estou grávida! Aliás, o povo nas filas de banco já sabe, porque eu entro em fila especial SIM!!

Ta bem que meu pai não é muito boa referência. Ele nem queria que a gente fizesse mais ultrassom, pra não perturbar o descanso da criança... Cabeça antiga e desconfiada com todas estas coisas de internet. Mas claro que ele conseguiu me deixar com esta pulguinha chata atrás da orelha.

Afinal, o que é certo? Viver este momento intenso em silêncio, sem expressar o que sinto, sem mostrar aos amigos, reservando aos mais íntimos a nossa intimidade? E afinal de contas, se tiver que acontecer alguma coisa errada, não vai acontecer mesmo? Ou o simples fato de eu manter segredo sobre a minha gravidez vai evitar que algo ruim aconteça? Ai, se fosse fácil assim, não veríamos tantas mães perdendo seus bebês, lutando com problemas na gestação e no parto... Sem contar os tantos problemas que vêm depois... E que não há olho gordo que possa provocar.

Ufa! Desabafei.


*******************************************


O segundo ponto filosófico é bem mais filosófico mesmo... Quero falar sobre felicidade.

Vocês se sentem felizes por estarem grávidas? Parece óbvio, mas eu ando pensando sobre isso...

Fica pro próximo post, ok?


Por hora vai a foto do meu possante!! Esta foto ficou roróóóósa, porque a câmera resolveu fazer greve no meu momento empolgada, louca pra registrar... Daí eu tive que apelar pro celular. Afff!! Mas certamente teremos muuuitas fotos desse carrinho, com uma coisinha bem gordinha e branquela dentro!!!


Saúde e beijos!!

Um comentário:

Carla Brolezi disse...

Ai Nanda, esse é um ponto delicado, pq dizem que os tres primeiros meses é a prova de fogo, é quando temos que ter os maiores cuidados (emocionais e fisicos), então eu sinceramente acho que é bom deixar soh as pessoas "do bem" e proximas fiquem sabendo dos passos da gestação. Mas que a vontade de contar pra todos é grande, isso é!!! Ainda bem que estou prestes a completar a minha 12º semana ... e esse bicho papão vai parar de me apavorar!!! rsrsrs
Aiiiii sobre felicidade quero muuuuito ler, e comentar ... as vezes fico meio encucada com esse ponto!!!
beijinhos nosso!!!
Carla Brolezi

 

Umbigo Especial > DESIGN BY DATA ESPECIAL.COM.BR