quarta-feira, 24 de setembro de 2008

A maior dor do parto... é ter que escolher o parto!

Bom, pode parecer meio adiantadinho da minha parte, querer falar sobre parto na oitava semana de gestação!

Eu mesma achei que deixaria este assunto mais pra frente, quando minha decisão já estivesse tomada e eu já tivesse mais argumentos disponíveis pra discorrer sobre o tema.
Mas acho que por isso mesmo, por eu ainda estar no comecinho, vai ser bom falar o que penso. Até porque não tenho uma opinião formadíssima sobre - e vai ser interessante registrar as minhas suposições e dividir com vocês as dúvidas que vão pintando ao longo do caminho.

Acontece que, ao contrário das minhas colegas aqui no Umbigo, eu não ando simpatizando muito com a idéia de ter um parto normal. Jurei pra mim mesma que conversaria muito e leria bastante antes de decidir - mas nada nem ninguém até agora conseguiu me convencer de que aquela coisa sofrida e selvagem é realmente a melhor opção pra mim e pro meu filho.

A primeira reação de todos quando digo isso, inclusive do meu marido, é o básico: 'Você está é com medo da dor!'. Mas não é bem por aí. Até porque já está provado, segundo a Veja desta semana, que a peridural pode ser aplicada durante o parto normal, promovendo alívio total antes mesmo da mulher atingir os tais 4cm de dilatação. Começou o trabalho, já começa a anestesia, ou seja, no pain!

O que me assusta na verdade é que os médicos e a equipe têm muito pouco controle sobre o processo do parto. É preciso ser muito bom, pensar rápido e ter sorte pra que tudo corra bem. E com a febre das cesarianas no Brasil, poucos são aqueles que ainda manjam de parto normal como as parteiras de antigamente. Como é que eu vou confiar?

Outra coisa que me assusta é a rasgação que eles fazem... Ninguém me contou isso. Eu mesma já assisti a 4 partos normais e vi as pobres mães serem retalhadas sem dó nem piedade. E como é que eu fico depois? Será que é mais fácil a cicatrização? Comparando com os míseros pontinhos lineares e certinhos da cesárea... Acho que não, hein?

E o bebê, tadinho? Sai espremido, puxado e empurrado... Às vezes só sai a forceps e aí terá marcas pra vida toda, isso se o treco não pegar acidentalmente nos olhinhos dele! Ah! Mas se a mãe não tem dilatação existe a opção de esperar 15 horas até que dilate... Ou então quebra-se a clavícula do pobrezinho pra facilitar a saída.

Tá bom... Mas será que eu não tenho nada de positivo pra dizer sobre parto normal? Sinceramente... Ainda não.
Tudo o que eu falei até aqui vem de leituras e relatos de outras mães, conversas com amigas, além da minha observação pessoal.
E eu queria saber algo de realmente positivo sobre o parto normal, mas o fato é que toda vez que alguém chega pra defender, é sempre a mesma coisa. Já até conheço a lista de argumentos - que pra mim não valem um centavo.

Argumento 1 - Natural é ser natural. As mulheres têm filhos assim desde que o mundo é mundo!
Eu respondo: Ok! Então doe seu fogão e seu microondas e faça uma fogueirinha na sala! Afinal, as mulheres cozinham assim desde que o mundo é mundo!

Argumento 2 - É melhor pra mãe e para o bebê!
Eu respondo: É mesmo? Me prove. O que é melhor? Juro que estou disposta a ouvir!

Argumento 3 - Cesárea tem recuperação lenta.
Eu respondo: Duvido! Tenho visto muitas mulheres com pontos, fazendo de tudo em casa e cuidando do bebê sem problema. Como não tenho dificuldades com cicatrização, acho que também não será difícil pra mim.

Argumento 4 - Há mais riscos na cesárea.
Eu respondo: Mais riscos visíveis e remediáveis a tempo. Coisa que não acontece no parto, onde não se vê nada e muitas vezes tudo o que se pode fazer é esperar, fazer força e empurrar. Muitas opções...

Argumento 5 - O bebê tem que vir ao mundo na hora dele!
Eu respondo: Ok! Fazemos a cesárea quando começarem as contrações.

Argumento 6 - Bebês que nascem por cesárea são mais lentos e demoram pra conseguir mamar.
Eu respondo: Quer dizer que o negócio é espremer o bichim pra ele ficar mais esperto? Fala sério! Quando a fome bater, ele vai mamar. E eu não vou estar toda ensangüentada, esturricada e traumatizada, ou seja, vai sobrar paciência e disposição pra ajudar meu filho se ele for lentinho.

Argumento 7 – Após a cesárea, o bebê e a mãe demoram mais tempo pra estabelecer um vínculo, pois muitas vezes a mulher não consegue segurá-lo logo em seguida, por causa da dor.
Eu respondo: Como assim? O carinha está lá dentro, amarrado em mim há nove meses, e o simples fato de não vir direto pro meu colo vai atrapalhar o nosso vínculo? Que viagem! Meu vínculo com a minha mãe é maravilhoso e já faz 31 anos que eu saí da barriga dela!
E ainda tem o fato de que depois do parto normal, dependendo do estado de estropiamento da pobre mãe, ela não vai mesmo conseguir segurar nem um alfinete de fralda. Sem contar que os riscos de depressão pós-parto são maiores, devido ao desgaste que ela sofreu pra parir.

Bom, como eu disse antes, pode ser que nos próximos meses eu mude RADICALMENTE de opinião. Ou não!

Semana que vem será meu primeiro pré-natal e eu prometo colocar esta questão crucial pra minha médica, da mesma forma que estou fazendo aqui. Torço pra que alguém me convença definitivamente de que o parto normal é bom... Vamos ver se ela consegue - ou uma de vocês, meninas!

Quero saber o que vocês pensam sobre isso. E o que diriam pra convencer uma taurina cabeçuda feito eu!!!

Beijos nas barriguinhas e até a próxima!!

Carla!! Bem-vinda ao time de loucas! Hahahahaha!! Felicidades e muita saúde, beterrabas e brócolis na sua gestação! Aqui em casa também tá tudo bem colorido ultimamente! E a fome é tanta que é preciso cuidar mesmo, senão a gente acaba virando umas bolinhas!!!

PS: Antes de publicar este post, me deu um certo peso na consciência... Achei que tinha sido radical demais, com tão pouco embasamento.
Daí corri pro “gugo” e digitei: benefícios+”parto normal” - surprise! A pesquisa resultou em nada!! Experimentem pra ver!!

Mas como sou insistente, inverti os termos e encontrei alguns sites bem bacanas sobre parto normal, todos eles listando estes argumentos aí de cima... Prometo ler com calma e depois escrevo outro post, se eu achar algo diferente sobre o assunto, viu? :o)

5 comentários:

Carla Brolezi disse...

Ahhh
Temos uma diferença, eu quero muuuito parto normal, mais se não for possivel, OK pra cesaria tb!
Talvez as experiencias que você tenha visto com partos normais, sejam na sua maioria frustantes. No meu caso, tenho amigas e algumas primas que passaram por parto normal, e só tem elegios e boas experiencias para contar, por isso tenha calma, tenho certeza que qq medico que avaliar sabe se um parto tem condições de ser normal, e não passar por nenhum trauma (forceps e outros medos que todas temos) ou uma cesaria.
Mais acho mesmo que o importante é você estar tranquila e se for cesaria ou normal, isso não vai mudar em nada a MÃE que vc será!!!
beijinhos

Carol Reis de Andrade disse...

Carla,

O problema de quem tem medo de parto normal é achar que tem complicações, uso de fórceps, dor tremenda e o diabo a quatro. Mas eu acredito que a maioria das leitoras aqui e a própria Fernanda não são pacientes do SUS, que é onde esses rolos acontecem, então se assustam à toa.

Beijocas!

Carla Beatriz disse...

Fernanda,

Muito prazer, sou a Carla Beatriz, mãe de dois filhos de parto normal humanizado, sem intervenções, sem anestesia e, muito importante, SEM TRAUMAS!
Creio que você está com muitas dúvidas em relação ao parto normal e quer decidir pela cesárea, para não precisar pensar ou ter que escolher.
Pois bem, o primeiro benefício do parto normal é o protagonismo da mulher sobre o evento. Quando a mulher experimenta um parto normal humanizado, ela protagoniza seu próprio parto e se "empodera".
O parto é um processo fisiológico normal, assim como evacuar e urinar. Você sabia que somente nos últimos 50 anos é que as mulheres começaram a ir ao hospital para ter filhos? Antes disso, elas tinham seus filhos em casa, acompanhadas de uma parteira. Você acha que as taxas de mortalidade e morbidade materna diminuíram porque os partos começaram a acontecer no hospital? Ledo engano. Quanto à cesárea, ela só é realmente necessária em menos de 15% dos casos, segundo as recomendações da OMS.
Você fala do bebê espremido e empurrado. Você sabia que ele PRECISA ser espremido para poder expelir o líquido de seus pulmões, já que dentro do útero materno ele está no meio aquático e ao nascer, ele passa para o ambiente sem água? O fórceps deve ser usado em regime de absoluta exceção e não como rotina.
Se não há dilatação, o bebê não terá como nascer e muitas mulheres dilatam bastante rápido, vai depender de cada caso.
Quanto ao corte feito na vagina, concordo com você, as mulheres são impiedosamente retalhadas, mas você sabia que há médicos que não fazem esse corte - a episiotomia? Eu não sofri a episiotomia em nenhum de meus dois partos e meu períneo ficou íntegro no segundo parto.
Enfim ... vc tem muito material para pesquisar na internet. Convido-te a conhecer os sites Parto do Princípio, Amigas do Parto e meu próprio blog.
Estou à disposição para oferecer dicas, ajuda, informações, compartilhar minha experiência contigo.
Um beijo!

Carla Beatriz disse...

Parto do Princípio - www.partodoprincipio.com.br
Amigas do Parto (site) - www.amigasdoparto.com.br
Amigas do Parto (ONG) - www.amigasdoparto.org.br

Carla Beatriz disse...

Fernanda,
Há vários estudos que comprovam, estatisticamente, que o parto normal é a melhor opção para a mãe e para o bebê. Informe-se a respeito.

Beijos

 

Umbigo Especial > DESIGN BY DATA ESPECIAL.COM.BR